17 abril 2013

Filme: As Aventuras de Pi



''As Aventuras de Pi'', sucesso nos cinemas e ganhador de quatro Oscars, conta a história do jovem Piscine Molitor Patel, um jovem indiano hindu, cristão, muçulmano e judeu criado em um zoológico e único sobrevivente humano do naufrágio de um cargueiro japonês, à deriva em uma embarcação salva-vidas na companhia de um temível tigre-de-bengala. Uma história sobre um jovem em uma viagem fatídica que, depois de um desastre espetacular no meio do oceano, o arremessa em uma jornada épica de aventura e descoberta.

12 abril 2013

Someone, somewhere.




Existem músicas que te fazem rir, te fazem pensar, te fazer sonhar... outras te fazem chorar. Algumas são engraçadas, realmente. Uma música linda, você acha que a letra é perfeita, vai olhar a tradução... e fala sobre uma azeitona dançando frevo no telhado. É. Experiência própria. Ontem, de madrugada, escrevendo mais uma vez após um sonho, essa música começou a tocar, da minha playlist. Eu nunca tinha parado para escutá-la antes. Comecei a chorar mais ainda escrevendo. Tanto pelo texto quanto pela música.

O sonho? Sonhei mais uma vez com a mesma pessoa que estou sonhando a quase um mês inteiro. Que amo a quase um ano, em que penso todos os dias e que sinto falta mais do que posso dizer. Se isso é possível? Não sei. Talvez eu seja maluca. Todos já me disseram isso. Sonhando com o futuro, com o passado, com frases e palavras que talvez nunca sejam ditas, com coisas que talvez nunca aconteçam. Mas, e se...? Todos esses talvez, todos esses e se... E porque? Porque isso tudo não se torna realidade, porque isso tudo não tem um fim? Talvez nem sequer tenha começado. 

Talvez haja mesmo, alguém em algum lugar orando para que eu chegue em casa.

Ah, sonhos e pensamentos, sempre me lembrando de tudo que passou e no que ainda não aconteceu. Ainda, eu espero. Talvez eu esteja ao seu lado mais perto do que nós dois imaginamos. Talvez isso tenha um final feliz, talvez isso ainda tenha uma longa vida para frente. Não sei, que boba eu. Quantas vezes já te disse isso? Uma longa vida, e eu deveria aproveitar a minha. E quer saber a verdade? Deveria mesmo. E quero aproveitá-la com você.

É apenas difícil ser forte sem saber se você se sente assim de verdade.

Gosto de pensar em como será quando eu chegar aí. Que irei te abraçar muito, pode ter certeza. Talvez você diga que me ama, e eu com certeza farei isso. Porque é verdade. Já disse isso milhares de vezes. Diria novamente, mais milhares. O que será que vai acontecer? Os sonhos finalmente se tornarão realidade? Porque eu não paro de sonhar com você? Já tentei esquecer, já tentei superar, já tentei te ter só para mim, tive ciúmes, chorei de saudade e até já tentei te odiar, admito isso. Mas eu não consigo. Que seja tudo verdade, por favor. Eu preciso de um lar doce lar para chamar de meu.

Eu gosto de imaginar que você está pensando em mim, que está lembrando, que ainda sente o mesmo. Gosto de pensar em como você vai ficar ao me ver. Gosto de imaginar você sorrindo ao ler meus textos. Você sabe que são para você, não sabe?

09 abril 2013

Escreva um título para a postagem

ceu-da-califa

Desde que as aulas começaram, minha vida se tornou um inferno novamente. E aqui estou eu, depois de tanto tempo acho que eu até preciso me apresentar de novo.. Enfim, provas começaram, professores enchendo o saco, maldito computador não deixando eu estudar, fanfics que não me deixam em paz não que eu queira, mas, em sempre volto afinal. 

Admito que fiquei horas tentando criar algum conteúdo legal para minha "volta" pro blog, porém, nem um título legal pra essa postagem eu consegui fazer, imagina uma postagem interativa que renderia vários comentários, divulgações e bla bla bla. Tirando a parte em que eu me irritei profundamente por não conseguir achar uma porr* de imagem pra ilustrar esse maldito post sem fundamento.

Vou me esforçar ao máximo pra participar mais do blog, vou tentar fazer algo diferente, já me perdi de quantas vezes eu já fiz um post igualmente esse explicando os motivos por qual eu me afastei.

 Desculpas, pela última  vez.

Duda.


03 abril 2013

Decepções, fugas e um recomeço.


Oliver sempre lindo, meu, perfeito, meu e apenas.

O ano recém começou para mim. Hoje foi o primeiro dia de aula, nada aconteceu e acabei de voltar das férias. Acham que eu morri? Pois morri, mesmo. Morri para muita gente assim como elas morreram para mim. E é assim que deve ser. Se eu fugi? Fugi. Fugi de todas as pedras que me jogavam, de todas as mágoas, decepções e mentiras. De todos os ''eu te amo'' que diziam da boca para fora, de todos os ''eu te odeio'' e dos ''você deveria se matar logo, ninguém gosta de você.'' 
Ah, e como estou feliz de ter feito isso.
Sou aberta para falar, para pedir ajuda, conselho ou apenas um abraço. Hoje tenho pessoas que realmente me amam ao meu lado. Hoje me dedico ao meu futuro, a minha vida, aos meus estudos e a minha segunda casa, o The Fashion Wonderland. Hoje falo o que penso, falo o que sinto, falo dos meus sonhos e do que quero ser. Sou livre, finalmente... livre.
Sim, recém comecei. Apagando as memórias que não mereciam ser lembradas, apagando as falsas amizades, e ao invés de chutar as pedras, apenas contornei-as. Se vão falar? Claro que vão. Sempre falarão. Sempre haverá alguém que não conseguiremos agradar. No meu caso, muitas pessoas. Mas se me importo? Não me importo mais. Hoje, finalmente livre.
Finalmente livre para perceber os olhares e as almas verdadeiras. Sabe o engraçado? Pessoas que conheci a pouquíssimo tempo já foram mais verdadeiras comigo do que pessoas que conheço a 7, 8 anos. É, a vida é assim. E é caindo, se machucando e aprendendo com os milhares de erros que um dia, você encontra o caminho certo da sua vida.
Eu encontrei o meu.
Finalmente... livre.

E olá, pessoal! Vamos ter algumas mudanças aqui no blog. Para me dedicar aos estudos na nova escola, pararei de postar quase todos os dias. Minhas postagens serão nas segundas, quartas ou finais de semana. De tarde, nada mais de Facebook e Twitter. Finalmente... livre para perceber o que me faz bem e o que não faz. Voltei a ler, a escrever, a estudar. Estou tendo aulas de espanhol na nova escola (e amando!), e eu quero mesmo me dedicar esse ano. Não são com falsas amizades que irei ter um futuro.

Ah, como é boa essa sensação. Nada mais de noites chorando, de cortes e de mágoas. Nada mais daquele peso nas costas. De sorrir por obrigação. Hoje... não paro de sorrir. E é de felicidade.

Muito obrigada a Larissa Freitas, a Yasminne Luise, ao Marcelo (e eu te amo, tá?), ao Douglas e aos meus pais. Muito obrigada a vocês, que lêem o blog e que me ajudam mais do que posso agradecer em todos esses anos. Ao Gustavo Pereira, meu ''cabrilinho'', que sempre foi meu amigo, sempre foi um fofo e me fez rir com suas histórias bobas e risos contagiantes. Não disse que iria te mencionar no blog um dia, seu gato?

Muito obrigada até as pessoas que me fizeram cair. Sem vocês, eu nunca acharia o caminho certo.

Finalmente... eu.

Caroline Rodrigues.